A Bíblia e a educação


Nos últimos anos tenho lido a Bíblia. Não considero que o texto bíblico tenha que ser lido ao pé da letra, até porque um texto tão rico, poético e antigo, não pode ter uma única interpretação. Também não acho que eu precise recorrer à alguma doutrina  para entender o que está escrito. Os maiores guias que tsão a minha experiência , o bom senso e a  consciência.

Não sigo nenhuma ordem para ler os livros. Li o Novo Testamento inteiro e uma boa parte do Antigo e constatei que pode-se ler a Bíblia de muitas formas, uma delas como um livro de conselhos. Surpreendo-me até agora com a a sabedoria que está nessas páginas e descubri, com um certo espanto, que muitas conclusões que cheguei na minha vida, não sem sacrifícios e erros, já estavam lá, prontinhas para o consumo. Sinto-me um pouco como Chesterton, depois de muito procurar, quando começo a encontrar minhas respostas descubro que estavam no começo, no lugar de onde parti, na tradição cristã.

Acompanhando os problemas da educação, por exemplo, sempre me intrigou porque nos lugares mais atrasados do Brasil produzia-se por vezes uma melhor alfabetização. Isso vem da experiência real, fui alfabetizado no Pará, assim como meu filho. Nenhum de nós enfrentou maiores dificuldades para acompanhar boas escolas do sudeste depois, salvo uma certa vagabundagem ocasional. Conversando com amigos que vieram de Manaus, o quadro não mudou muito. Pelo menos no ensino fundamental, escolas do Norte e Nordeste apresentam resultados acima do esperado.

Ultimamente comecei a pensar se o grande motivo não seria justamente o fato dessas escolas serem muito mais tradicionalistas do que as do restante do país, estas impregnadas pela mistura ideológica de marxismo e desconstrutivismo, instituída por gente preocupada mais em formar inconformados do que ensinar as quatro operações. Ultimamente comecei a reparar vários estudiosos defendendo que a base para o aprendizado é a disciplina, justamente o grande vilão dos modernistas do ensino. Por disciplina não se entenda o castigo físico, mas o comprometimento e o sentimento de humildade que um aluno deve possuir por seu mestre.

E o que a Bíblia ensina? "Quem ama a disciplina ama o conhecimento. Quem detesta as repreensões é tolo "(Pv 12,1). Não se aprende sem disciplina e não se aprende sem ser corrigido. Entretanto, muitos adotaram a aparência disciplinadora sem o conhecimento para transmitir, gerando a revolta dos educadores modernos. O problema é que na pressa de destruir a autoridade desses impostores, destruiu-se junto a autoridade dos bons mestres e sem autoridade não há como impor disciplina e nem repreender o erro. Observa-se que a repreensão é ao erro e não ao aluno. Na revolta contra os professores que repreendiam os alunos, muitas vezes com rituais de humilhação, os professores que repreendiam o erro foram atacados também. Pior, com o tempo foram substituídos por uma nova geração de professores cuja maior preocupação era deixar alunos, pais e diretores satisfeitos, mesmo que o aluno não aprendesse nada.

Outro exemplo? Diz também no livro dos provérbios (12,15) "o proceder do insensato é reto aos seus olhos, mas quem é sábio atende aos conselhos". Aqui está a raiz do problema da ideologia, os ideólogos acham que estão certos. São incapazes de ver que seus atos contrariam a natureza das coisas e são muitas vezes imorais. Como podem atender aos conselhos se acham que estão com toda a razão? O mesmo vale para a insistência do homem em caminhar pelo vício, muitos acham que não são vícios ou que pelo menos o diabo não é tão malvado assim.

"Quem anda com os sábios torna-se sábio, quem é amigo dos insensatos torna-se mau." (Pv 13, 20). O problema é achar um sábio nos dias de hoje. Estamos tão perdidos nesse mundo de extrema correria e excesso de informação que fica cada vez mais difícil encontrar os sábios, embora existam. Pelo sim, e pelo não, ando sempre com um monte de sábios, debaixo do braço. Platão, Santo Agostinho, Eric Voegelin, ando sempre com eles. Marx, Foucalt, Paulo Freire? Prefiro uma distância segura, o que não significa que não os estude. Aliás, a sabedoria da Bílbia está nos detalhes também. Para ser sábio, basta andar com o sábio, mas para se perder, é preciso ser amigo do insensato. Posso ler, como já fiz,  Marx ou ou Paulo Freire, mas não serei jamais amigo deles. Tenho uma certa repugnância daqueles que se alegram em ver sangue humano derramado por sua causa. 

Três singelos exemplos de textos que li esta manhã. São versículos que traduzem sabedorias, conselhos que um pai dá ao filho todos os dias, normalmente com uma linguagem menos poética, com mais palavras pois a simplicidade é uma característica de quem muito sabe, uma característica essencialmente divina. Quer um livro de auto-ajuda? Leia a Bíblia, mas leia de peito aberto, sem preconceitos, buscando em suas linhas conselhos úteis que possam servir de orientação para nosso dia a dia. Vale a pena.


u© MARCOS JUNIOR 2013